sábado, 28 de julho de 2012

Resumo biográfico: Maurício de Nassau


O Conde Johann Moritz of Nassau (Conde João Maurício de Nassau) governou a colônia holandesa  no Nordeste do Brasil, Pernambuco, entre 1637 a 1644.



Nassau possuía origem alemã, tendo nascido nos arredores de Frankfurt e de Siegen. Sua nobre família tinha dois ramos, um alemão e outro holandês. Seguindo uma tradição familiar, Nassau seguiu, logo cedo, a carreira militar servindo a Holanda. Contudo, recebeu anteriormente, uma educação humanística nas Universidades de Basiléia e Genf.

Prestou serviços a WIC (sigla que significa Companhia das Índias Ocidentais ou West-Indische Compagnie, no idioma holandês). Foi designado para administrar a colônia da Nova Holanda no Brasil, aos 33 anos de idade quando a Holanda, convencida da importância do açúcar para sua economia, ocupou a capitania de Pernambuco.

Primeiro os holandeses ocuparam Salvador em 1624, mas foram repelidos um ano depois. Posteriormente, tomaram Olinda de assalto, conquistando Pernambuco em 1630. Recife, por suas condições geográficas, foi escolhida como núcleo principal da ocupação holandesa em que a partir deste ponto, expandiram seus domínios até os territórios dos atuais Estados: Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

Quando chegou ao Brasil, Nassau era visto como invasor estrangeiro e protestante, numa terra de colonos portugueses e católicos, e para desconstruir essa imagem procurou cativar a população que rapidamente passou a ajudá-lo em suas obras modernizadoras e, por isso, seus feitos, no período em que esteve no Brasil, não se limitaram as simples atribuições de um administrador.

Contrariando a lógica da época, mercantilismo, ele não explorou a colônia apenas em benefício da WIC. Mantinha o objetivo de promover o bem-estar dos habitantes preservando com isso, a terra. De formação Humanista, Nassau foi o primeiro administrador colonial do seu tempo a preocupar-se com as ciências e as artes. Ordenou a construção de um observatório astronômico, criou um jardim botânico e compôs em sua comitiva, um corpo de mestres da pintura flamenga como Frans Post e Albert Eckout, além de diversos outros artistas e cientistas.

Nassau concedeu empréstimos aos senhores de engenho, a fim de melhorar a produção, contudo, o preço do açúcar caiu no mercado internacional e a WIC decidiu cobrar, de uma só vez, os empréstimos concedidos. Não concordando com tal atitude, Nassau, que havia fracassado em nova tentativa de ocupar a Bahia, entrou em atrito com a WIC, entregando o cargo e retornando à Europa, em 1641.

Sua saída enfraqueceu a relação entre donos de terras e a companhia de comércio estimulando a Insurreição Pernambucana: movimento para expulsar os holandeses.

De volta à Holanda, Nassau retomou o serviço militar e chegou ao posto de marechal. Desde então, passou a residir em Haia, capital administrativa holandesa, vivendo no palácio do governo, em que transformou numa galeria de arte.

Num jardim público em Kleve, está o imponente mausoléu de ferro que Nassau idealizou e onde foi sepultado.

O ano de 2004 foi escolhido por Alemanha, Holanda e Brasil para ser o Ano de Nassau em homenagem aos 400 anos de seu nascimento.

2 comentários:

  1. gostei do texto professor !!!!!!!!

    participando do blog tbm :)

    ResponderExcluir
  2. Ótimo resumo, Professor! Obrigada por compartilhar conhecimentos!

    ResponderExcluir

Comentários

Copyright © 2012 Aprendendo a Estudar História|Template Para Blogspot.